Thursday, November 08, 2007

Olhos famintos

Olho pela janela da minha alma,

E devoro tudo que os meus olhos alcançam.

Na volúpia por êxtase, inebriei-me de ti.

Nesse incontável desejo de tudo experimentar,

Absorvo cada cor, cada pele, cada essência

Para dentro de mim e tudo isso fica misturado.

Causando-me ânsia e desejo de mais e mais,

Mergulhar em cada partícula íntima e serenamente.

Sentir o pulsar de cada uma delas e assim,

Poder saciar essa vontade que aparenta mil vezes,

Maior que o próprio ser que a sente.

Nada tão esperado, mas, inconsciente em mim.

Uma criatura inacaba que busca sua outra parte.

1 comment:

Priscila Thieghi said...

Oi KK, seu blog é ótimo... Gostei bastante ... Parabéns!!!