Thursday, January 18, 2007

Mito da caverna

Porque tenho que ficar trancado
Nessa jaula em forma de corpo,
Com esse pensamento em forma de bolha.
Inconsciente vejo as sombras na parede.
Mas elas não me dizem nada, pois,
Tudo sempre foi desse jeito.
Alguém me toca pedindo minha atenção,
Mostrando que um se liberta das cadeias.
Enquanto o algoz continua a chicotear,
Indicando que a direção dos olhos são
Para a frente, que não nos movamos.
Olho e só vejo o vulto na parede, mas tenho
Medo de manifestar alguma reação.
Foi-se ele, ninguém o viu sair.
Retorna este que outrora fora um dos nossos
Exprimindo sua mágica e mundana utopia,
Dizendo-me que estamos errados, que há sonhos,
Que há cores, existe um mundo fora esse da caverna
A ser desbravado, que há sorrisos,
Sol, flores, que existe música e liberdade.
Eu me calo e cabisbaixo não acredito
Que exista qualquer outra coisa além das sombras.
Desanimado ele se afasta e volta, alçando vôo
Para o seu outro mundo, recém descoberto.
Eu fico aqui com minhas cadeias e minha
Lamúria, penúria...

1 comment:

ihihnck said...

hi We had prepared 50,000 dollars for your gift Please visit my website immediately